16 dezembro 2011









Tudo bem! Faz tempo que eu não passo por aqui, nem escrevo novidades...


Posso dizer que os últimos meses tem sido super mega corridos. 
Acredito que o fim de ano seja assim para 99,9% dos seres humanos que vivem em São Paulo!


Tem sido um grande aprendizado ser mãe do Ricardo.
Acho que é melhor não chamá-lo mais de meu pequeno, vide o diálogo a seguir:


Eu - Boa noite meu pequeno, te amo!
Ricardo - Não mamãe, eu sou menino grande!
Eu - Boa noite filho, te amo!
Ricardo - Boa noite mamãe, te amo!


Vou voltar com mais frequência por aqui, estou com saudades das trocas que o blog me proporciona!!



25 junho 2011

Homem Aranha






Meu pequeno tem completa paixão pelo Homem Aranha, vulgo cabeça de teia, com identidade nem tão secreta assim, pois sabemos que o nome do moço é Peter Parker!


Quando trocamos o berço pela cama grande, adivinhem qual foi o maior incentivo? 
Ah! É claro!! Que ele tinha a cama do Homem Aranha!!
Conjunto de lençol e manta, tudo do "amigo do bairro".


Pra quem curte o Homem Aranha deve saber que a garota pela qual ele tem um amor super platônico é a Mary Jane e que seus inimigos são diversos:
Dr. Octopus
Venon
Shocker
Lagarto
Etc...


Aprendi tudo isso com meu pequeno. Sob fortes influências do maridão, é óbvio!!!
Desde que ele foi apresentado ao cabeça de teia, faz com a mãozinha o mesmo gesto que o Homem Aranha, com direito a sonoplastia para a saída de teia e tudo! Pssiiiiiiii!!


Em todo lugar que meu pequeno frequenta é conhecido pelo tal gesto.
Na escola, uma das mães dos amiguinhos vieo me perguntar: O que é que o Ricardo faz com a mão? Porque minha filha faz igual e diz: É o Ricardo mamãe.


Na última reunião com a professora, eu e maridão estávamos saindo e outras 2 mães estavam esperando por seus horários (era uma reunião individual) e as duas fizeram o tal gesto para a mãe(no caso EU) do Homem Aranha que faz parte dos assuntos dos pequenos delas.
Num restaurante japonês e num outro que adoramos a feijoada, é só o pequeno aparecer que garçons, garçonetes e gerentes vem ao seu encontro conversar sobre alguma coisa relacionado ao personagem...


Num sábado desses o pequeno disse que era o Homem Aranha Preto e aí o garçom, entrando na onda, já emendou, então eu sou o Homem Aranha Vermelho! E virou para mim e maridão e disse: Ele deve ter escolhido o Preto porque é mais forte né? rsrsrs


Além do gesto com a mão, ele escala o chão, como o Homem Aranha faz nas paredes dos prédios, aí vcs já podem imaginar como ficam as roupas né? Mas tudo bem, lavo todas elas sabendo que ele está aproveitando!


É engraçado ver como outras crianças reagem quando vêem meu pequeno fazendo essas coisas, muitas vezes é instantâneo, mesmo que seja uma criança mais velha, começa a imitá-lo. No caso de escalar o chão, as mães adoram...rsrs


Já sei que faz parte e essa fase gostosa ainda vai durar mais um tantinho para eu poder curtir à vontade, e tb controlar os socos dessa fantasia toda. Mas o que mais me delicia é vê-lo se colocando em situações como se ele fosse o protagonista.


Diálogo pequeno ( Homem Aranha) e Mamãe (Mary Jane):
HA: Você tá pesa Mary Jane!
MJ: Sim, socorro!!!
HA: Epera, eu vo te salvá!!!
E aí vem o pequeno, saltando para o meu colo, agarra meu pescoço com o braço direito e lança as teias(não esqueçam da sonoplastia: Pssiiiii) com a mão esquerda!
É tão gracioso ver o instinto de proteção!!!


Já com maridão as brincadeiras de derrotar o inimigo e lutar são diferentes e de certo ponto de vista até mais divertidas para os dois!


Diálogo pequeno (Homem Aranha) e Maridão (Venon):
HA: Eu vo delotá você!!!
Vn: Não, eu que vou derrotar você!!
HA: (vários socos)
Vn: (cai aniquilado no chão)
HA: Obrigado papai Venon!


Ownnnnn, não é um fofo?!!!!


Esse é o super herói preferido, mas eu conto em outro post as peripécias com outros personagens e as estripulias do meu pequeno com as respectivas características...

18 junho 2011

Amadurecimento




Há algum tempo venho me questionando em relação a repetição.


Sempre leio que na fase que meu pequeno está (2 anos e 9 meses), as crianças aprendem pela repetição etc...

Isso realmente acontece e é fato que para algumas coisas acabam sendo mais rápidas que para outras...

Para a narrativa de um livro, vupt, depois de duas ou três vezes que a estória é repetida, lá está meu esponjinha repetindo frases, imitando vozes das personagens e pedindo:  Mamãe, conta de novo!?!?

Mas para outras tantas coisas, a repetição parece ter um efeito menos acelerado... ou melhor, mais lento do que eu gostaria...rsrsrs

No entanto, essa semana, fui surpreendida!

De quarta pra quinta, meu pequeno deu um grande SALTO no desenvolvimento.
Parecia que por um passe de mágica, ele tinha absorvido, progredido e aplicado aprendizados.

Uma das coisas que temos tentado ensinar por repetição aqui em casa, são as palavrinhas mágicas (por favor, obrigado, desculpa...)

Por favor, ok, ele fala com frequência e por vezes precisa ser lembrado.

Obrigado, a gente fica: como se fala? ôooooo.... aí ele completa!

Mas as desculpas....

Ah, as desculpas.... um parto para o pequeno admitir que errou e se desculpar.

Um dia ele chegou a dizer: Mamãe, eu não quero pedir desculpas!

Sentiram o drama? Não é porque ele não sabia falar a palavra ou coisa que o valha. Era pura teimosia...

Mas como eu ia dizendo de quarta pra quinta, ele parecia um menino maior do que a idade real dele.

Falou obrigado, por favor, eu te amo, nos encheu de beijos E o mais importante (avanço total!!!) pediu desculpas!!!!!

Isso não quer dizer que ele deixou de fazer birras quando contrariado, mas é um avanço tãããão grande, que meu coração de mãe, tentando dar conta da maior parte das coisas (de tudo eu já percebi que é impossível) e fazendo meu melhor se encheu de alegria!

Fiquei tão feliz!!!

Pra mim é um sinal de amadurecimento do meu pequeno rapaz!!

Comentei toda feliz com o maridão sobre as minhas conclusões e ele concordou!!!



01 junho 2011

Festas Juninas!!!





Eu amo festa  junina, quadrilha e docinhos do tema!!!


Está inaugurada a temporada das canjicas, paçocas, pés de moleque, pinhão, bolo de fubá, doce de abóbora, doce de batata (adoro a roxa), pra quem toma bebida alcoólica quentão e vinho quente.


Pra mim que não uso álcool e para as crianças, vai uma receitinha de quentão sem álcool :




Essas fotinhos são da primeira festa junina do meu pequeno. Estava frio.








Compareceram Vová Cecília, Vovó Cintia, Vovô Hervé, além de papai e mamãe... é claro!!!!






18 maio 2011

Papai, vai devagar...




Dia desses, estávamos os três (eu, maridão e pequeno) no carro a caminho da escola.
O Ricardo estava protestando porque não queria ir na escola, e queria ir ao parque, brincar... bobo ele? Claro que não!!!
Então ele tenta desviar nossa atenção de todas as maneiras, acredito que na tentativa de mudarmos de opinião e pararmos com a idéia fixa de ir trabalhar e levá-lo para a escola...rsrs
Nesse dia ele quis levar livro, pediu o pão da lancheira etc...
No caminho que fazemos para a escola tem uma rua beeeeeeeeeeeeeeem esburacada; ele estava comendo o pão e disse: Papai, vai devagar!


Maridão não estava correndo nem nada do genero, e até por isso foi mais hilário ouvir meu pequeno controlando a maneira de dirigir do pai.


Quem leu e pensou que o Ricardo reproduz o que eu falo (ou seja, que fico dando pitacos quando maridão está no volante) muito se engana, sou do tipo que gosta de fazer com os outros aquilo que gostaria que as pessoas fizessem comigo...


É incrível como meu pequeno está ampliando o vocabulário nesses 2 anos e 8 meses de vida e nos surpreende com expressões e palavras inusitadas!


Vai devagar? Vê se pode? Eu nem sabia que ele já podia ter noções de direção defensiva... rsrsrs

16 maio 2011

Atividades



De repente, meu pequeno faz... atividades!
Vira e mexe o Ricardo fala que vai fazer atividade, sempre que eu proponho uma pintura, desenho ou algo do gênero  ele já nomeia como a professora faz na escola.


E ontem ele saiu da escola com mais um daqueles envelopes LINDOS!! Cheios de atividades, que eu simplesmente AMO!!!


Só por babar mesmo, bem mãe coruja. 
Por enquanto guardo todos, acho que quando meu pequeno crescer um pouco mais eu peço pra ele escolher seus preferido...


No caminho pra casa, no carro mesmo, fui tirando uma por uma do gigante envelope e perguntando se ele tinha feito sozinho, se foi legal, se algum amigo tb fez, se fez igual, se fez diferente..., parecia um interrogatório, mas pra mim é um prazer imenso saber como ele se sente e ver meu pequeno se expressando, do jeito dele, sem alguns R's, mas relatando o cotidiano dele na escola.


Desde o início do ano, meu pequeno tem identificado algumas formas geométricas e agora ele mostrou tudo pra gente como ilustra o vídeo...


video




Ele me mostrou os tiagulos, os ciiiculos, os quadados e retangulos!! rsrsrs


Como é delicioso ver o progresso e conquistas dele!! Pode ser um avanço mínimo, pra mim é o MÁXIMO!



10 maio 2011

Ser mãe é ser FELIZ!!!



Nesse Dia das Mães me senti bem diferente dos outros dois dias das mães que vivi desde que meu pequeno nasceu. Acho que é porque nessa fase ele está interagindo de maneira ímpar.


Durante a semana, ele voltou da escola cantando uma música nova, que dizia: Mamãe, Mamãe - mais alguma outra frase - Eu te amo!!
Eu pergunto: Essa é uma música nova que você aprendeu na escola?
Ele responde: É a música supesa (surpresa) do dia da(s) Mãesss!!
Tão lindo!!!!


No domingo de manhã, maridão me acordou com uma das coisas que eu mais amo na vida: Café da Manhã na cama!!!
E o pequeno junto!!!
Foi uma delícia! Comemos todos juntos na nossa cama e quando maridão foi pegar um dos itens da minha bandeja, o Ricardo solta: Não papai!! É o café da manhã do dia da mães!!! rsrsrsrsrs




Naquele momento, nós três ali compartilhando um delicioso desjejum preparado com muito carinho, falei para o Maridão e para o pequeno: Isso É felicidade!!!!







Ah!! Tb recebi cartinha de amor do Maridão e desenho do pequeno!!! Ai que delícia!!!


Obrigada filho por fazer minha vida muito mais feliz do que eu podia imaginar!!!!


As atitudes de amor e doçura não extirpam as birras ou qualquer outro desafio de ser mãe, mas não diminui minha alegria (as vezes o que diminui é a paciência...) rsrsrsrs

07 maio 2011

Feliz Dia das Mães!!!!!!!!!!





Eu li esse texto pela primeira vez, no blog de uma amiga, depois de muito tempo num grupo de mães do qual faço parte no facebook e toda vez que eu o leio,
fico emocionada e penso como ele é verdadeiro!



  Antes de ser mãe, eu fazia e comia os alimentos ainda quentes.
  Eu não tinha roupas manchadas, tinha calmas conversas ao telefone.
  Antes de ser mãe, eu dormia o quanto eu queria, nunca me preocupava com a hora de ir para a cama.
  Eu não me esquecia de escovar os cabelos e os dentes.
  Antes de ser mãe, eu limpava minha casa todos os dias.
  Eu não tropeçava em brinquedos e nem pensava em canções de ninar.
  Antes de ser mãe, eu não me preocupava se minhas plantas eram venenosas ou não.
  Imunizações e vacinas então, eram coisas em que eu não pensava.
Antes de ser mãe, ninguém vomitou e nem fez xixi em mim, nem me beliscou sem nenhum cuidado, com dedinhos de unhas finas.
Antes de ser mãe eu tinha o controle sobre a minha mente, meus pensamentos, meu corpo e meus sentimentos, e dormia a noite toda.
  Antes de ser mãe,eu nunca tive que segurar uma criança chorando, para que médicos pudessem fazer testes
  ou aplicar injeções.
  Eu nunca chorei olhando pequeninos olhos que choravam.
  Nunca fiquei gloriosamente feliz com uma simples risadinha.
  Nem fiquei sentada horas e horas olhando um bebê dormindo.
  Antes de ser mãe, eu nunca segurei uma criança, só por não querer afastar meu corpo do dela.
  Eu nunca senti meu coração se despedaçar, quando não pude estancar uma dor.
  Nunca imaginei que uma coisinha tão pequenina, pudesse mudar tanto a minha vida e que pudesse amar alguém tanto assim.
  E não sabia que eu adoraria ser mãe.
  Antes de ser mãe, eu não conhecia a sensação, de ter meu coração fora do meu próprio corpo.
  Não conhecia a felicidade de alimentar um bebê faminto.
  Não conhecia esse laço que existe entre a mãe e a sua criança.
  E não imaginava que algo tão pequenino, pudesse fazer-me sentir tão importante.
  Antes de ser mãe, eu nunca me levantei à noite toda, cada 10 minutos, para me certificar de que tudo estava bem.
  Nunca pude imaginar o calor, a alegria, o amor, a dor e a satisfação de ser uma mãe.
  Eu não sabia que era capaz de ter sentimentos tão fortes.
  Por tudo e, apesar de tudo, obrigada Pai, por eu ser agora um alguém tão frágil e tão forte ao mesmo tempo.
  Obrigada meu Pai Celeste, por permitir-me ser Mãe!


É claro que algumas coisas que esse texto cita, eu vivenciei antes de ser mãe, com os meus sobrinhos, como segurar uma delas para tomar vacina, etc, mas nunca será possível comparar qualquer situação dessas, sendo MÃE!

Feliz Dia das Mães, a todas as mães que amam protagonizar seu papel de forma ativa.
Desde que meu pequeno nasceu tive a certeza de que temos uma parceria com o
Pai Celestial, quando nos tornamos mães, somos parceiras no plano que Ele tem para cada uma de nós.
É um chamado divino e de responsabilidade imensurável!!!




06 maio 2011

Os dez hábitos das mães felizes! Parte 2









Como falei no post anterior, aqui estão as minhas reflexões dos outros itens...

5 - Criar uma relação saudável com o dinheiro
Aprendi com meus pais que o dinheiro não é o principal na vida, mas com ele devemos ter alguns cuidados.
É bom colocar um pouco de dinheiro na nossa frente e deixar bem claro quem é o dono de quem...
E tb saber distinguir desejos x necessidades.
Nem sempre o que queremos, precisamos, então é bom pensar antes.
É claro que muitas vezes não resistimos ao impulso de comprar roupas, brinquedos e acessórios para os nossos pequenos (ou para nós mesmas), mas é bom fazer isso dentro do orçamento.
Quando eu estava grávida, não via como o orçamento podia crescer ou se multiplicar para acoplar os gastos que a nova vida que eu estava gerando traria, mas tem dado tudo certo!
O mais importante pra mim é saber que não nos falta o essencial!!

6 - Arrumar tempo para a solidão
Isso eu ainda tenho que melhorar MUUUUUITO!!!
Ainda hoje, sinto culpa quando estou na manicure ou na depilação... pode?
Coisa de mãe encanada né? Maridão sempre diz isso...
Quem tiver sugestões... estou aberta a recebê-las!
Eu já tenho melhorado em vários outros aspectos, mas esse, ainda é um desafio!
Pode ser um dia que eu estou super bem resolvida, mas na hora de ficar longe ou um pouco sozinha... bate saudades, as vezes até culpa...

7 - Dar e receber amor de forma saudável
Desde que o pequeno nasceu, eu e Maridão temos aprendido demais! Nós adoramos conversar! Sobre absolutamente TUDO! Claro que nosso assunto preferido é o Ricardo!
No começo nos pegamos com saudades de conversar mais.
Esse foi só o início do aprendizado que se estenderia para o tempo a sós, o carinho, a tolerância (nem sempre tão tolerante, nem tão paciente)...
Quando o pequeno dorme (e nenhum de nós capotou com ele na cama), reservamos um tempinho para conversar e para nós dois!
Os momentos de intimidade quase nunca ocorre quando queremos, as vezes requer algum planejamento..., mas ainda conseguimos conservar nosso companheirismo e romantismo. 
É difícil, não tem mais tantas surpresas como antes, mas a gente tenta e não perde o rebolado, né amor?


8 - Encontrar formas simples de viver
Dar conta de tudo? Impossível!
Ainda me chicoteio vááááárias vezes, mas tem coisas que eu consigo desencanar..., não deu para lavar a louça? Paciência...
Acho que tem um ditado pra isso, não me lembro as palavras certas, mas o sentido é mais ou menos assim: O que o sabão lava e o dinheiro compra não é a prioridade...
E é mais do que verdade!! A roupa manchou?? Tudo bem!!! Quer dizer que meu pequeno brincou, aproveitou, viveu!!
Quando meu pequeno observa formigas, descreve situações e faz comentários inusitados, é simplesmente MARAVILHOSO!!!
Não precisamos de um passeio extravagante ou gastos excessivos para sermos felizes.
Um bom passeio e momentos em família valem mais que qualquer coisa.
Nesses momentos só consigo sentir alegria de viver!! Percebo que a felicidade está nessa simplicidade!!!!!


9 - Deixar o medo de lado
Se a felicidade dessa mãe que vos escreve dependesse exclusivamente desse item... eu estava lascada!
Ainda fico muito em cima do meu pequeno...
Maridão sempre diz: "a gente tá criando um moleque. Deixa ele cair, levantar."
Bom... estou avançando, mas ainda não consigo ficar numa festinha de aniversário conversando com outras mães sem ficar de olho no meu pequeno (até porque, na minha opinião isso é desleixo), mas sei que tenho que melhorar nisso. Vai ser bom pra todo mundo!!


10 - Esperança é uma decisão. Decida!
Isso eu tenho de sobra!!!
Sei que muitas coisas não vão mudar, mas ainda acredito que se eu posso melhorar alguma coisa no mundo, essa coisa sou eu.
E como mãe... sei que tenho uma poderosa influência (assim como todas as mães tem) sobre o meu pequeno, então tento fazer sempre o meu melhor.
Penso que isso pode ajudá-lo a ter um futuro melhor e melhorar o mundo ao nosso redor!


Vou parando por aqui... com meus pensamentos, minhas certezas e inseguranças... e com um beijinho fofo do Ricardo no cachorro azul da fotinho aí em baixo! rsrsrs



Mãe feliz = Filho feliz!

05 maio 2011

Os dez hábitos das mães felizes! Parte 1


Nós dois... felizes!!!


No último boletim da Revista Crescer tem uma matéria sobre os hábitos de uma mãe feliz:


Revista Crescer


Enquanto fui lendo os tópicos que a autora do livro elenca, foi impossível não fazer uma espécie de "auto avaliação" e em seguida pensei em compartilhar um pouco do que eu pensei:


1- Entender seu valor como mãe
Acredito que depois de me tornar mãe, entendi um zilhão de coisas, sentimentos e incertezas... que só alguém que é mãe sabe e pode sentir. É redundante mesmo e não tem como não o ser...
É claro que me valorizo como mulher e mãe. Tenho me conhecido melhor e posso dizer que sei que eu sou a melhor mãe que posso ser, mas ainda me questiono em vários aspectos: Por que meu pequeno acorda tantas vezes durante a noite? Devia deixá-lo ser mais independente... 
E muitas vezes, não posso dizer que é só as vezes, porque estaria mentindo, me pego sentindo CULPA (minha melhor amiga de infância... rsrsrsrs
Ao mesmo tempo não tenho nenhuma dúvida que EU sou (não a única, mas a melhor opção do meu pequeno) a pessoa que traz segurança e tranquilidade para o Ricardo.


2 - Conservar suas amizades-chave
No final desse ano, completo 30 anos (tenho que admitir que isso me deixa um tanto quanto desconfortável, mas tudo bem, é a vida né...) e tenho aprendido que quantos mais anos passam, menos amigos de verdade nós temos.
Não estou sendo pessimista não, mas é diferente. Quando a gente tem 15 anos todo mundo é amigo, mas a vida vai mostrando que alguns deles são colegas e outros vão continuar lá para o que der e vier.
Tem aqueles amigos que a gente fica sem ver por 10 anos, mas o carinho continua o mesmo.
Neste quesito eu arranjei uma forma, talvez não muito saudável, mas razoável de manter minhas amizades-chave.
Destaco duas amigas em especial, que tb são mães e com elas eu me encontro pelo menos uma vez por mês num horário nada convencional: das 22h às 00h
É um horário meio louco, mas todos os nossos pequenos já estão dormindo nesse horário e assim podemos comer alguma besteira juntas e jogar conversa fora.
Chamamos os nossos encontros de PAPOTERAPIA rssrsrsrs


3 - Valorizar e praticar a fé
Pra quem me conhece e acompanha este blog já sabe e possivelmente me encontra na igreja toda semana, mas pra quem está me conhecendo virtualmente, sou membro de  A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.
Minha religião é Cristã, extremamente ativa e participativa, ou seja, vou às reuniões e atividades, ajudo a elaborar algumas atividades, dou opiniões, etc.
Atualmente estou como responsável pelo grupo de moças de 12 a 18 anos e isso me traz bastante adrenalina (vide a faixa etária) e tb a oportunidade de refinamento espiritual.
Com isso meu pequeno está em constante contato com a minhas convicções e crenças e sei o quanto isso pode ser importante para o futuro dele e tb da nossa família; 


4 - Dizer não à competição
É difícil não se colocar em nenhuma comparação ou competição, mas estou melhorando 300% neste quesito!!
De verdade, tenho sofrido menos e me sentido mais segura.
Quando uma mãe vem contar como seu filho dorme bem a noite toda, é claro que é inevitável lembrar das minhas noites mal dormidas, mas tento me conformar e ainda comento o quanto eu adoraria ter uma noite inteira sem interrupções...




Bom, esse post já está mais que enorme, então vou deixar os itens de 5 a 10, que falam sobre dinheiro, tempo, decisões, entre outros, para amanhã ok?


22 abril 2011

Artur faz arte


Este é uma das nossas últimas aquisições da biblioteca infantil aqui de casa. rsrsrs
Esse livro é muito bacana, conta como o Artur (protagonista do livro) faz arte. 



Ele acompanha a parte da tinta e adora o "risque rabisque amalucado" rsrsrsrs 



Meu pequeno está aprendendo a identificar algumas formas geométricas, então nessa parte, ele até fala sozinho: Cículos, vemelhos, amaélos, azuixs...




Além de tudo isso, no final mostra o apoio da mãe, incentivando a arte de Artur, fazendo uma exposição na geladeira!

19 abril 2011

TV



Esses dias eu estava pensando sobre o tempo que meu pequeno fica na frente da TV.
Quando o Ricardo tinha poucos meses eu não o deixava na frente da TV, achava que não era um estímulo de qualidade, então simplesmente não considerava adequado.

Aí eu voltei a trabalhar quando ele tinha quase seis meses (pra ser mais exata, dois dias antes dele completar os seis meses).
O tempo com meu pequeno era cada vez menor e a saudade cada vez maior, então ainda não via nenhuma utilidade para os programas da TV no cotidiano dele.

Introduzimos a TV aos poucos. No começo eu achei que ele não prestava muita atenção ao que passava na telinha.
Iniciamos basicamente com Discovery Kids e Futebol (essa parte ficou por conta do maridão, é claro!)
Aos poucos vieram alguns filmes e hoje posso dizer que preciso controlar o tempo do pequeno na frente da TV, porque se dependesse dele, seriam horas...

Depois de ler várias orientações diferentes em sites e revistas, achei algumas coisas razoáveis:

Aqui em casa, atualmente, meu pequeno assiste Toy Story, Spectacular Spider Man (uma coleção de 4 DVDs e cada um tem 4 episódios - foi aí que surgiu a tietagem do meu pequeno em relação ao Homem Aranha), futebol (qualquer time jogando) e Discovery Kids (o PREFERIDO é o Mister Maker).

Como é citado na reportagem do link acima, é claro que em certos momentos, a TV acaba tendo um papel de babá, na hora de prepara uma refeição, ou algo assim...

Outra coisa importante é assistir junto. 
Numa determinada parte do Toy Story 2 a Jessie conta a trágica história de como a dona a abandonou. Nessa parte, meu pequeno começou a chorar baixinho; eu olhei, fiquei preocupada e perguntei: Filho, o que foi?
Ele só me respondeu: Mamãe, a Jessie tá tchiste! 
Nesse mesmo filme, ele A-DO-RA assistir aos erros de gravação e dá muitas gargalhadas!!!!

Esse é mais um dos desafios das mães... temos que ficar atentas!!! Quantidade e qualidade!!!

14 abril 2011

Sebos



Eu e maridão adoramos Sebos!!
Amamos ler, folhear livros e parece que no sebo é até mais gostoso, pois a gente sabe que muito provavelmente aquele livro que está ali na nossa mão ou na prateleira já foi lido e compartilhado por outro alguém.
Isso de certa forma me fascina.
Eu não sou tão técnológica para ler livros num tablet pelo menos por enquanto; pode ser que daqui uns anos eu mude radicalmente de idéia, mas atualmente, não troco o papel...
Tenho uma família que sofre de rinite e ao sair de um sebo é inevitável que nós três saiamos espirrando, mas vale a pena. srsrsrs


Aí está meu pequeno na sessão dos gibis, ele adora livros, gibis, revistas...





Em São Paulo, existem sei lá quantos sebos, mas um que gostamos de ir..., mesmo que seja só pra passear, sem a obrigação de sair de lá com algum livro na mão é o Sebo do Messias, segue a dica:


Endereço: Praça João Mendes, 140 - Centro - Cep 01501-000
Site: www.sebodomessias.com.br


Horário de Funcionamento: Seg a sex das 9h às 19h e Sab das 9h ás 17h exceto aos feriados
Tel: 3105-6931

07 abril 2011

Eu sou a melhor mãe que posso ser!!!





Essa é a minha primeira blogagem coletiva e a idéia é falar da maternidade real.


Não me lembro a primeira vez que pensei em ser mãe, muito provavelmente, deve ter sido ainda brincando de boneca...
Tenho 7 sobrinhos e o convívio com crianças nunca foi algo estranho, mas só quando a minha vez chegou é que me dei conta de váaaaaaaaaaaaarias coisas.
Coisas que pessoas queridas e desconhecidos me falavam e que eu achava que eram apenas jargões...


Quando a gente vira mãe a vida toda muda.
Descobri um amor que não cabe dentro de mim e que ao mesmo tempo dói!
Nunca mais meu sono foi o mesmo. Aliás, sono? Que sono? Dormir 8, 9, 10 horas ininterruptas? O que é isso mesmo?
Refeições quentes? Não me lembro...
Birras? Sim, elas permeiam a fase que meu pequeno está (2 anos e 7 meses), a adolescência da infância, com certeza!!! Já me disseram que piora aos 3... =(


Mesmo com esses detalhes, não tão agradáveis, eu não trocaria NADA, pelo que vivo com o meu pequeno!!
Ao vê-lo crescendo, se desenvolvendo, aprendendo, interagindo... é a maior e melhor coisa que me aconteceu.
A sensação de ter meu pequeno nos braços, receber seus beijinhos estalados e babados, é maravilhoso!!
Quando minha irmã me disse que TUDO na minha vida mudaria... eu não tinha a menor noção do que isso significava até a chegada do Ricardo.
Parece inútil a tentativa de descrever algo impossível, o amor de mãe.


Estou fugindo do tema né? Mas é inevitável... para se falar de uma coisa, não tem como não falar de outra...


Eu sou a melhor mãe que eu posso ser! 
Com meus erros e meus acertos, com minhas crises e equilíbrios, com as minhas neuras e certezas, minhas tristezas e alegrias...


Tenho que assumir! A maternidade tem sido sim, permeada por várias culpas.
Algumas delas já superei (tipo a de chegar na primeira consulta com uma pediatra, contar que o pequeno já tinha passado por zilhões de colos e levar a maior bronca porque recém nascido  - na opinião dela - só pode ir no colo da mãe, do pai e no máximo no das avós... no dia fiquei mal, achando que tinha feito algo de muito ruim para o meu bebê, hoje acredito que não teria feito diferente, afinal, ele sentiu a demonstração de amor a aconchego de muitos colos)... outras ainda carrego e sei que vão me acompanhar por um bom tempo...


Carregar meu pequeno nos braços, amamentar, trocar muuuuuuuuuuuuuitas fraldas, cuidar quando está doente, fazer papinhas com criatividade, oferecer estímulos de qualidade... só na prática! 
Tudo que me falaram e as coisas que eu experimentei sendo tia, não são, nem de perto, comparáveis a ser mãe.
Ou mesmo estar preparada para a maternidade!
Não que eu seja uma sem noção, longe disso, até que me considero alguém de bom senso, mas falar que eu estava segura, ou mesmo agora, que passo por todas as fases com segurança inabalável? Não! 


Eu pergunto, ouço mãe, irmã, professora, livros, sites, blogs, revistas e tudo que cair na minha mão sobre maternidade, tô lendo!
Depois é a hora de trocar idéias com o maridão e definimos uma linha de conduta.
Parece muito técnico, mas tentamos fazer dessa forma.
É obvio que surgem situações mais do que inusitadas e não dá nem tempo de pensar, quanto mais de construir estratégia...rsrsrsrs, mas a gente dá um jeito!


Eu sempre tive minhas convicções, mas até elas passaram por reforma, depois que virei mãe...


Sendo mãe, tenho mais uma: não comparo minha vida ou a do meu filho com as de outras mães ou outras crianças.
Cada ser é único!!! Com suas qualidades e atributos, personalidade, preferências. 
As mães são diferentes e as crianças também.


Quando o Ricardo nasceu eu não sabia distinguir os tipos de choro e achava que tinha algo de errado comigo.
Hoje, pelo olhar, pela respiração e até a posição das mãozinhas do meu pequeno consigo decifrar o que está acontecendo, o que ele está sentindo...
Isso não é sempre, é claro que eu ainda estou me perguntando porque ele resistiu sob protestos entrar na escola hoje e em alguns outros dias...
Mas no geral, conheço bem meu pequeno de personalidade observadora e alegre!


Acho que faz parte do amadurecimento, da experiência... da dor e da delícia de ser o que se é...


E quer saber? Que mal tem nisso?
Acredito piamente que acerto mais do que erro e esse é meu caminho (com muitas ajudas - maridão, família, escola etc) na tentativa de contribuir para que o Ricardo tenha um futuro feliz.


Essa é a maior busca!!!! Que ele seja FELIZ!!!!


Filho, te amo!!


video