22 abril 2011

Artur faz arte


Este é uma das nossas últimas aquisições da biblioteca infantil aqui de casa. rsrsrs
Esse livro é muito bacana, conta como o Artur (protagonista do livro) faz arte. 



Ele acompanha a parte da tinta e adora o "risque rabisque amalucado" rsrsrsrs 



Meu pequeno está aprendendo a identificar algumas formas geométricas, então nessa parte, ele até fala sozinho: Cículos, vemelhos, amaélos, azuixs...




Além de tudo isso, no final mostra o apoio da mãe, incentivando a arte de Artur, fazendo uma exposição na geladeira!

19 abril 2011

TV



Esses dias eu estava pensando sobre o tempo que meu pequeno fica na frente da TV.
Quando o Ricardo tinha poucos meses eu não o deixava na frente da TV, achava que não era um estímulo de qualidade, então simplesmente não considerava adequado.

Aí eu voltei a trabalhar quando ele tinha quase seis meses (pra ser mais exata, dois dias antes dele completar os seis meses).
O tempo com meu pequeno era cada vez menor e a saudade cada vez maior, então ainda não via nenhuma utilidade para os programas da TV no cotidiano dele.

Introduzimos a TV aos poucos. No começo eu achei que ele não prestava muita atenção ao que passava na telinha.
Iniciamos basicamente com Discovery Kids e Futebol (essa parte ficou por conta do maridão, é claro!)
Aos poucos vieram alguns filmes e hoje posso dizer que preciso controlar o tempo do pequeno na frente da TV, porque se dependesse dele, seriam horas...

Depois de ler várias orientações diferentes em sites e revistas, achei algumas coisas razoáveis:

Aqui em casa, atualmente, meu pequeno assiste Toy Story, Spectacular Spider Man (uma coleção de 4 DVDs e cada um tem 4 episódios - foi aí que surgiu a tietagem do meu pequeno em relação ao Homem Aranha), futebol (qualquer time jogando) e Discovery Kids (o PREFERIDO é o Mister Maker).

Como é citado na reportagem do link acima, é claro que em certos momentos, a TV acaba tendo um papel de babá, na hora de prepara uma refeição, ou algo assim...

Outra coisa importante é assistir junto. 
Numa determinada parte do Toy Story 2 a Jessie conta a trágica história de como a dona a abandonou. Nessa parte, meu pequeno começou a chorar baixinho; eu olhei, fiquei preocupada e perguntei: Filho, o que foi?
Ele só me respondeu: Mamãe, a Jessie tá tchiste! 
Nesse mesmo filme, ele A-DO-RA assistir aos erros de gravação e dá muitas gargalhadas!!!!

Esse é mais um dos desafios das mães... temos que ficar atentas!!! Quantidade e qualidade!!!

14 abril 2011

Sebos



Eu e maridão adoramos Sebos!!
Amamos ler, folhear livros e parece que no sebo é até mais gostoso, pois a gente sabe que muito provavelmente aquele livro que está ali na nossa mão ou na prateleira já foi lido e compartilhado por outro alguém.
Isso de certa forma me fascina.
Eu não sou tão técnológica para ler livros num tablet pelo menos por enquanto; pode ser que daqui uns anos eu mude radicalmente de idéia, mas atualmente, não troco o papel...
Tenho uma família que sofre de rinite e ao sair de um sebo é inevitável que nós três saiamos espirrando, mas vale a pena. srsrsrs


Aí está meu pequeno na sessão dos gibis, ele adora livros, gibis, revistas...





Em São Paulo, existem sei lá quantos sebos, mas um que gostamos de ir..., mesmo que seja só pra passear, sem a obrigação de sair de lá com algum livro na mão é o Sebo do Messias, segue a dica:


Endereço: Praça João Mendes, 140 - Centro - Cep 01501-000
Site: www.sebodomessias.com.br


Horário de Funcionamento: Seg a sex das 9h às 19h e Sab das 9h ás 17h exceto aos feriados
Tel: 3105-6931

07 abril 2011

Eu sou a melhor mãe que posso ser!!!





Essa é a minha primeira blogagem coletiva e a idéia é falar da maternidade real.


Não me lembro a primeira vez que pensei em ser mãe, muito provavelmente, deve ter sido ainda brincando de boneca...
Tenho 7 sobrinhos e o convívio com crianças nunca foi algo estranho, mas só quando a minha vez chegou é que me dei conta de váaaaaaaaaaaaarias coisas.
Coisas que pessoas queridas e desconhecidos me falavam e que eu achava que eram apenas jargões...


Quando a gente vira mãe a vida toda muda.
Descobri um amor que não cabe dentro de mim e que ao mesmo tempo dói!
Nunca mais meu sono foi o mesmo. Aliás, sono? Que sono? Dormir 8, 9, 10 horas ininterruptas? O que é isso mesmo?
Refeições quentes? Não me lembro...
Birras? Sim, elas permeiam a fase que meu pequeno está (2 anos e 7 meses), a adolescência da infância, com certeza!!! Já me disseram que piora aos 3... =(


Mesmo com esses detalhes, não tão agradáveis, eu não trocaria NADA, pelo que vivo com o meu pequeno!!
Ao vê-lo crescendo, se desenvolvendo, aprendendo, interagindo... é a maior e melhor coisa que me aconteceu.
A sensação de ter meu pequeno nos braços, receber seus beijinhos estalados e babados, é maravilhoso!!
Quando minha irmã me disse que TUDO na minha vida mudaria... eu não tinha a menor noção do que isso significava até a chegada do Ricardo.
Parece inútil a tentativa de descrever algo impossível, o amor de mãe.


Estou fugindo do tema né? Mas é inevitável... para se falar de uma coisa, não tem como não falar de outra...


Eu sou a melhor mãe que eu posso ser! 
Com meus erros e meus acertos, com minhas crises e equilíbrios, com as minhas neuras e certezas, minhas tristezas e alegrias...


Tenho que assumir! A maternidade tem sido sim, permeada por várias culpas.
Algumas delas já superei (tipo a de chegar na primeira consulta com uma pediatra, contar que o pequeno já tinha passado por zilhões de colos e levar a maior bronca porque recém nascido  - na opinião dela - só pode ir no colo da mãe, do pai e no máximo no das avós... no dia fiquei mal, achando que tinha feito algo de muito ruim para o meu bebê, hoje acredito que não teria feito diferente, afinal, ele sentiu a demonstração de amor a aconchego de muitos colos)... outras ainda carrego e sei que vão me acompanhar por um bom tempo...


Carregar meu pequeno nos braços, amamentar, trocar muuuuuuuuuuuuuitas fraldas, cuidar quando está doente, fazer papinhas com criatividade, oferecer estímulos de qualidade... só na prática! 
Tudo que me falaram e as coisas que eu experimentei sendo tia, não são, nem de perto, comparáveis a ser mãe.
Ou mesmo estar preparada para a maternidade!
Não que eu seja uma sem noção, longe disso, até que me considero alguém de bom senso, mas falar que eu estava segura, ou mesmo agora, que passo por todas as fases com segurança inabalável? Não! 


Eu pergunto, ouço mãe, irmã, professora, livros, sites, blogs, revistas e tudo que cair na minha mão sobre maternidade, tô lendo!
Depois é a hora de trocar idéias com o maridão e definimos uma linha de conduta.
Parece muito técnico, mas tentamos fazer dessa forma.
É obvio que surgem situações mais do que inusitadas e não dá nem tempo de pensar, quanto mais de construir estratégia...rsrsrsrs, mas a gente dá um jeito!


Eu sempre tive minhas convicções, mas até elas passaram por reforma, depois que virei mãe...


Sendo mãe, tenho mais uma: não comparo minha vida ou a do meu filho com as de outras mães ou outras crianças.
Cada ser é único!!! Com suas qualidades e atributos, personalidade, preferências. 
As mães são diferentes e as crianças também.


Quando o Ricardo nasceu eu não sabia distinguir os tipos de choro e achava que tinha algo de errado comigo.
Hoje, pelo olhar, pela respiração e até a posição das mãozinhas do meu pequeno consigo decifrar o que está acontecendo, o que ele está sentindo...
Isso não é sempre, é claro que eu ainda estou me perguntando porque ele resistiu sob protestos entrar na escola hoje e em alguns outros dias...
Mas no geral, conheço bem meu pequeno de personalidade observadora e alegre!


Acho que faz parte do amadurecimento, da experiência... da dor e da delícia de ser o que se é...


E quer saber? Que mal tem nisso?
Acredito piamente que acerto mais do que erro e esse é meu caminho (com muitas ajudas - maridão, família, escola etc) na tentativa de contribuir para que o Ricardo tenha um futuro feliz.


Essa é a maior busca!!!! Que ele seja FELIZ!!!!


Filho, te amo!!


video

Minha mãe!!

Mamãe, meus irmãos e eu!


Hoje o post é só um desabafo!
Minha mãe fez uma cirurgia ontem. Ela vai completar 73 anos em Novembro deste ano.
Por causa de vááaaaaaaaaaaarias coisas eu fiquei muuuuuuuuuuuuuuuuuito preocupada!
Mal consegue dormir, faz mil orações...
Acho que o nosso relacionamento com as nossas mães mudam muito quando a gente vira mãe!
Só quando a gente vira mãe dá pra ter noção do amor que alguém pode ter por outro ser...
Mãe, te amo!! Quero muito te ver em casa.... fazendo a dieta liquida, depois a pastosa e se recuperando!!!

03 abril 2011

Bienal!!!


 Já comentei num post anterior, sobre a minha paixão por arte né?
Então, não consigo ficar sem ir numa bienal... e a última não foi diferente!!





Olha que compenetrado!!!!






Pura farra!!!!





Ele ficou um tempão explorando essa instalação!!!
  


Ele amou as cores dessa daqui!!!




Você acha que ele tava gostando??








Meu eterno amor!!!!



A idéia dessa instalação era relaxar... então tinha umas "almofadas" com camomila dentro...








Fomos em família!!!

02 abril 2011

Responsabilidade!



Como tem que ter oposição em todas as coisas... nem todos os dias os pequenos são doces.


Os pais tem uma ENOOOORME responsabilidade na educação das crianças, na verdade a maoir, sem dúvida nenhuma.
É claro que o meio ao qual os pequenos são expostos tb influencia, mas já dizia o ditado: Quem pariu Mateus que o embale.
Nas horas em que as birras parecem intermináveis, muitas vezes, pra mim, parece inevitável... e infelizmente perco a paciência.
Como é difícil ter auto controle!!!
Esses dias meu pequeno tirou para contraria, protestar, e ver até onde ele pode ir...
É difícil se manter firme ao NÃO quando a birra, o choro e tudo ao redor se juntam para nos provar!!
A idéia do castigo de 2 minutos, não tem funcionado bem com o meu pequeno. Talvez eu não esteja sabendo conduzir...
O que tem funcionado muitas vezes, é avisá-lo de que vai ser privado de algo que gosta, por exemplo: Se você bater vou tirar o relógio do seu pulso.
Aí funciona, mas quando eu não tenho nada de muito atrativo para barganhar... fica difícil, quase impossível!


Mamães de plantão (e papais tb) por favor, mandei dicas do que funciona com vocês!!!

01 abril 2011

Plantando Alface!!



Eu e o pequeno participamos de uma aula de jardinagem para pequenos espaços num parque.
No começo ele queria continuar jogando bola, mas depois que percebeu que poderia colocar as pedras num potinho, mexer na terra e principalmente regar a mudinha... aí sim ele entrou no clima.




Entrou tanto que plantamos duas mudinhas, uma de alface e outra de cebolinha. 
Ele regou tanto as duas pobres coitadas que acho que a cebolinha morreu afogada depois de alguns dias em casa....
Levamos as nossas duas mudinhas recem tiradas da sementeira e plantadas num fundo de garrafa pet com furos em baixo para casa.




Elas ficaram super bem acomodadas na varanda...
Até que percebi que a cebolinha estava morta, acho que afogada.
E o alface, firme e forte, continuou lá... crescendo!
Foi uma experiência muito bacana e que o pequeno curtiu bastante. Até porque, em apartamento fica mais difícil para as crianças terem contato com terra... essas coisas... deliciosas de mexer!
Todos os dias ela regava a mudinha de alface.
E no grande dia da colheita... ele foi comer a saladinha... a folha grudou na lingua e ele não quis mais tentar...
Não comeu nossa plantação... =(
Mesmo assim, foi super legal fazer a rotina de cuidar de uma plantinha com ele.
Ele ver o alface crescendo...
Valeu a pena. Ainda mais pra mim que não sou daquelas pessoas que tem muito jeito com plantas... elas não costumam durar muito comigo...
Acho que um dia eu melhoro nisso... quem sabe?