18 maio 2011

Papai, vai devagar...




Dia desses, estávamos os três (eu, maridão e pequeno) no carro a caminho da escola.
O Ricardo estava protestando porque não queria ir na escola, e queria ir ao parque, brincar... bobo ele? Claro que não!!!
Então ele tenta desviar nossa atenção de todas as maneiras, acredito que na tentativa de mudarmos de opinião e pararmos com a idéia fixa de ir trabalhar e levá-lo para a escola...rsrs
Nesse dia ele quis levar livro, pediu o pão da lancheira etc...
No caminho que fazemos para a escola tem uma rua beeeeeeeeeeeeeeem esburacada; ele estava comendo o pão e disse: Papai, vai devagar!


Maridão não estava correndo nem nada do genero, e até por isso foi mais hilário ouvir meu pequeno controlando a maneira de dirigir do pai.


Quem leu e pensou que o Ricardo reproduz o que eu falo (ou seja, que fico dando pitacos quando maridão está no volante) muito se engana, sou do tipo que gosta de fazer com os outros aquilo que gostaria que as pessoas fizessem comigo...


É incrível como meu pequeno está ampliando o vocabulário nesses 2 anos e 8 meses de vida e nos surpreende com expressões e palavras inusitadas!


Vai devagar? Vê se pode? Eu nem sabia que ele já podia ter noções de direção defensiva... rsrsrs

16 maio 2011

Atividades



De repente, meu pequeno faz... atividades!
Vira e mexe o Ricardo fala que vai fazer atividade, sempre que eu proponho uma pintura, desenho ou algo do gênero  ele já nomeia como a professora faz na escola.


E ontem ele saiu da escola com mais um daqueles envelopes LINDOS!! Cheios de atividades, que eu simplesmente AMO!!!


Só por babar mesmo, bem mãe coruja. 
Por enquanto guardo todos, acho que quando meu pequeno crescer um pouco mais eu peço pra ele escolher seus preferido...


No caminho pra casa, no carro mesmo, fui tirando uma por uma do gigante envelope e perguntando se ele tinha feito sozinho, se foi legal, se algum amigo tb fez, se fez igual, se fez diferente..., parecia um interrogatório, mas pra mim é um prazer imenso saber como ele se sente e ver meu pequeno se expressando, do jeito dele, sem alguns R's, mas relatando o cotidiano dele na escola.


Desde o início do ano, meu pequeno tem identificado algumas formas geométricas e agora ele mostrou tudo pra gente como ilustra o vídeo...


video




Ele me mostrou os tiagulos, os ciiiculos, os quadados e retangulos!! rsrsrs


Como é delicioso ver o progresso e conquistas dele!! Pode ser um avanço mínimo, pra mim é o MÁXIMO!



10 maio 2011

Ser mãe é ser FELIZ!!!



Nesse Dia das Mães me senti bem diferente dos outros dois dias das mães que vivi desde que meu pequeno nasceu. Acho que é porque nessa fase ele está interagindo de maneira ímpar.


Durante a semana, ele voltou da escola cantando uma música nova, que dizia: Mamãe, Mamãe - mais alguma outra frase - Eu te amo!!
Eu pergunto: Essa é uma música nova que você aprendeu na escola?
Ele responde: É a música supesa (surpresa) do dia da(s) Mãesss!!
Tão lindo!!!!


No domingo de manhã, maridão me acordou com uma das coisas que eu mais amo na vida: Café da Manhã na cama!!!
E o pequeno junto!!!
Foi uma delícia! Comemos todos juntos na nossa cama e quando maridão foi pegar um dos itens da minha bandeja, o Ricardo solta: Não papai!! É o café da manhã do dia da mães!!! rsrsrsrsrs




Naquele momento, nós três ali compartilhando um delicioso desjejum preparado com muito carinho, falei para o Maridão e para o pequeno: Isso É felicidade!!!!







Ah!! Tb recebi cartinha de amor do Maridão e desenho do pequeno!!! Ai que delícia!!!


Obrigada filho por fazer minha vida muito mais feliz do que eu podia imaginar!!!!


As atitudes de amor e doçura não extirpam as birras ou qualquer outro desafio de ser mãe, mas não diminui minha alegria (as vezes o que diminui é a paciência...) rsrsrsrs

07 maio 2011

Feliz Dia das Mães!!!!!!!!!!





Eu li esse texto pela primeira vez, no blog de uma amiga, depois de muito tempo num grupo de mães do qual faço parte no facebook e toda vez que eu o leio,
fico emocionada e penso como ele é verdadeiro!



  Antes de ser mãe, eu fazia e comia os alimentos ainda quentes.
  Eu não tinha roupas manchadas, tinha calmas conversas ao telefone.
  Antes de ser mãe, eu dormia o quanto eu queria, nunca me preocupava com a hora de ir para a cama.
  Eu não me esquecia de escovar os cabelos e os dentes.
  Antes de ser mãe, eu limpava minha casa todos os dias.
  Eu não tropeçava em brinquedos e nem pensava em canções de ninar.
  Antes de ser mãe, eu não me preocupava se minhas plantas eram venenosas ou não.
  Imunizações e vacinas então, eram coisas em que eu não pensava.
Antes de ser mãe, ninguém vomitou e nem fez xixi em mim, nem me beliscou sem nenhum cuidado, com dedinhos de unhas finas.
Antes de ser mãe eu tinha o controle sobre a minha mente, meus pensamentos, meu corpo e meus sentimentos, e dormia a noite toda.
  Antes de ser mãe,eu nunca tive que segurar uma criança chorando, para que médicos pudessem fazer testes
  ou aplicar injeções.
  Eu nunca chorei olhando pequeninos olhos que choravam.
  Nunca fiquei gloriosamente feliz com uma simples risadinha.
  Nem fiquei sentada horas e horas olhando um bebê dormindo.
  Antes de ser mãe, eu nunca segurei uma criança, só por não querer afastar meu corpo do dela.
  Eu nunca senti meu coração se despedaçar, quando não pude estancar uma dor.
  Nunca imaginei que uma coisinha tão pequenina, pudesse mudar tanto a minha vida e que pudesse amar alguém tanto assim.
  E não sabia que eu adoraria ser mãe.
  Antes de ser mãe, eu não conhecia a sensação, de ter meu coração fora do meu próprio corpo.
  Não conhecia a felicidade de alimentar um bebê faminto.
  Não conhecia esse laço que existe entre a mãe e a sua criança.
  E não imaginava que algo tão pequenino, pudesse fazer-me sentir tão importante.
  Antes de ser mãe, eu nunca me levantei à noite toda, cada 10 minutos, para me certificar de que tudo estava bem.
  Nunca pude imaginar o calor, a alegria, o amor, a dor e a satisfação de ser uma mãe.
  Eu não sabia que era capaz de ter sentimentos tão fortes.
  Por tudo e, apesar de tudo, obrigada Pai, por eu ser agora um alguém tão frágil e tão forte ao mesmo tempo.
  Obrigada meu Pai Celeste, por permitir-me ser Mãe!


É claro que algumas coisas que esse texto cita, eu vivenciei antes de ser mãe, com os meus sobrinhos, como segurar uma delas para tomar vacina, etc, mas nunca será possível comparar qualquer situação dessas, sendo MÃE!

Feliz Dia das Mães, a todas as mães que amam protagonizar seu papel de forma ativa.
Desde que meu pequeno nasceu tive a certeza de que temos uma parceria com o
Pai Celestial, quando nos tornamos mães, somos parceiras no plano que Ele tem para cada uma de nós.
É um chamado divino e de responsabilidade imensurável!!!




06 maio 2011

Os dez hábitos das mães felizes! Parte 2









Como falei no post anterior, aqui estão as minhas reflexões dos outros itens...

5 - Criar uma relação saudável com o dinheiro
Aprendi com meus pais que o dinheiro não é o principal na vida, mas com ele devemos ter alguns cuidados.
É bom colocar um pouco de dinheiro na nossa frente e deixar bem claro quem é o dono de quem...
E tb saber distinguir desejos x necessidades.
Nem sempre o que queremos, precisamos, então é bom pensar antes.
É claro que muitas vezes não resistimos ao impulso de comprar roupas, brinquedos e acessórios para os nossos pequenos (ou para nós mesmas), mas é bom fazer isso dentro do orçamento.
Quando eu estava grávida, não via como o orçamento podia crescer ou se multiplicar para acoplar os gastos que a nova vida que eu estava gerando traria, mas tem dado tudo certo!
O mais importante pra mim é saber que não nos falta o essencial!!

6 - Arrumar tempo para a solidão
Isso eu ainda tenho que melhorar MUUUUUITO!!!
Ainda hoje, sinto culpa quando estou na manicure ou na depilação... pode?
Coisa de mãe encanada né? Maridão sempre diz isso...
Quem tiver sugestões... estou aberta a recebê-las!
Eu já tenho melhorado em vários outros aspectos, mas esse, ainda é um desafio!
Pode ser um dia que eu estou super bem resolvida, mas na hora de ficar longe ou um pouco sozinha... bate saudades, as vezes até culpa...

7 - Dar e receber amor de forma saudável
Desde que o pequeno nasceu, eu e Maridão temos aprendido demais! Nós adoramos conversar! Sobre absolutamente TUDO! Claro que nosso assunto preferido é o Ricardo!
No começo nos pegamos com saudades de conversar mais.
Esse foi só o início do aprendizado que se estenderia para o tempo a sós, o carinho, a tolerância (nem sempre tão tolerante, nem tão paciente)...
Quando o pequeno dorme (e nenhum de nós capotou com ele na cama), reservamos um tempinho para conversar e para nós dois!
Os momentos de intimidade quase nunca ocorre quando queremos, as vezes requer algum planejamento..., mas ainda conseguimos conservar nosso companheirismo e romantismo. 
É difícil, não tem mais tantas surpresas como antes, mas a gente tenta e não perde o rebolado, né amor?


8 - Encontrar formas simples de viver
Dar conta de tudo? Impossível!
Ainda me chicoteio vááááárias vezes, mas tem coisas que eu consigo desencanar..., não deu para lavar a louça? Paciência...
Acho que tem um ditado pra isso, não me lembro as palavras certas, mas o sentido é mais ou menos assim: O que o sabão lava e o dinheiro compra não é a prioridade...
E é mais do que verdade!! A roupa manchou?? Tudo bem!!! Quer dizer que meu pequeno brincou, aproveitou, viveu!!
Quando meu pequeno observa formigas, descreve situações e faz comentários inusitados, é simplesmente MARAVILHOSO!!!
Não precisamos de um passeio extravagante ou gastos excessivos para sermos felizes.
Um bom passeio e momentos em família valem mais que qualquer coisa.
Nesses momentos só consigo sentir alegria de viver!! Percebo que a felicidade está nessa simplicidade!!!!!


9 - Deixar o medo de lado
Se a felicidade dessa mãe que vos escreve dependesse exclusivamente desse item... eu estava lascada!
Ainda fico muito em cima do meu pequeno...
Maridão sempre diz: "a gente tá criando um moleque. Deixa ele cair, levantar."
Bom... estou avançando, mas ainda não consigo ficar numa festinha de aniversário conversando com outras mães sem ficar de olho no meu pequeno (até porque, na minha opinião isso é desleixo), mas sei que tenho que melhorar nisso. Vai ser bom pra todo mundo!!


10 - Esperança é uma decisão. Decida!
Isso eu tenho de sobra!!!
Sei que muitas coisas não vão mudar, mas ainda acredito que se eu posso melhorar alguma coisa no mundo, essa coisa sou eu.
E como mãe... sei que tenho uma poderosa influência (assim como todas as mães tem) sobre o meu pequeno, então tento fazer sempre o meu melhor.
Penso que isso pode ajudá-lo a ter um futuro melhor e melhorar o mundo ao nosso redor!


Vou parando por aqui... com meus pensamentos, minhas certezas e inseguranças... e com um beijinho fofo do Ricardo no cachorro azul da fotinho aí em baixo! rsrsrs



Mãe feliz = Filho feliz!

05 maio 2011

Os dez hábitos das mães felizes! Parte 1


Nós dois... felizes!!!


No último boletim da Revista Crescer tem uma matéria sobre os hábitos de uma mãe feliz:


Revista Crescer


Enquanto fui lendo os tópicos que a autora do livro elenca, foi impossível não fazer uma espécie de "auto avaliação" e em seguida pensei em compartilhar um pouco do que eu pensei:


1- Entender seu valor como mãe
Acredito que depois de me tornar mãe, entendi um zilhão de coisas, sentimentos e incertezas... que só alguém que é mãe sabe e pode sentir. É redundante mesmo e não tem como não o ser...
É claro que me valorizo como mulher e mãe. Tenho me conhecido melhor e posso dizer que sei que eu sou a melhor mãe que posso ser, mas ainda me questiono em vários aspectos: Por que meu pequeno acorda tantas vezes durante a noite? Devia deixá-lo ser mais independente... 
E muitas vezes, não posso dizer que é só as vezes, porque estaria mentindo, me pego sentindo CULPA (minha melhor amiga de infância... rsrsrsrs
Ao mesmo tempo não tenho nenhuma dúvida que EU sou (não a única, mas a melhor opção do meu pequeno) a pessoa que traz segurança e tranquilidade para o Ricardo.


2 - Conservar suas amizades-chave
No final desse ano, completo 30 anos (tenho que admitir que isso me deixa um tanto quanto desconfortável, mas tudo bem, é a vida né...) e tenho aprendido que quantos mais anos passam, menos amigos de verdade nós temos.
Não estou sendo pessimista não, mas é diferente. Quando a gente tem 15 anos todo mundo é amigo, mas a vida vai mostrando que alguns deles são colegas e outros vão continuar lá para o que der e vier.
Tem aqueles amigos que a gente fica sem ver por 10 anos, mas o carinho continua o mesmo.
Neste quesito eu arranjei uma forma, talvez não muito saudável, mas razoável de manter minhas amizades-chave.
Destaco duas amigas em especial, que tb são mães e com elas eu me encontro pelo menos uma vez por mês num horário nada convencional: das 22h às 00h
É um horário meio louco, mas todos os nossos pequenos já estão dormindo nesse horário e assim podemos comer alguma besteira juntas e jogar conversa fora.
Chamamos os nossos encontros de PAPOTERAPIA rssrsrsrs


3 - Valorizar e praticar a fé
Pra quem me conhece e acompanha este blog já sabe e possivelmente me encontra na igreja toda semana, mas pra quem está me conhecendo virtualmente, sou membro de  A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.
Minha religião é Cristã, extremamente ativa e participativa, ou seja, vou às reuniões e atividades, ajudo a elaborar algumas atividades, dou opiniões, etc.
Atualmente estou como responsável pelo grupo de moças de 12 a 18 anos e isso me traz bastante adrenalina (vide a faixa etária) e tb a oportunidade de refinamento espiritual.
Com isso meu pequeno está em constante contato com a minhas convicções e crenças e sei o quanto isso pode ser importante para o futuro dele e tb da nossa família; 


4 - Dizer não à competição
É difícil não se colocar em nenhuma comparação ou competição, mas estou melhorando 300% neste quesito!!
De verdade, tenho sofrido menos e me sentido mais segura.
Quando uma mãe vem contar como seu filho dorme bem a noite toda, é claro que é inevitável lembrar das minhas noites mal dormidas, mas tento me conformar e ainda comento o quanto eu adoraria ter uma noite inteira sem interrupções...




Bom, esse post já está mais que enorme, então vou deixar os itens de 5 a 10, que falam sobre dinheiro, tempo, decisões, entre outros, para amanhã ok?